19 de mar de 2010

Lígia



Finalmente compreendi
a dualidade Shakespeareana!
"Plumas de chumbo"
condizem com suas frases
fortes, soberanas...


Guerreira, doce, espontânea...
diz que não é poeta,
mas dispara versos
como quem atira flechas
e ninguém como ela interpreta!


Quando solta sua voz,
mostra-se leoa feroz,
rugindo para despertar
o sono dos alienados.

Um comentário: