16 de set de 2010

Ao Sarau da Ademar


“Paz na terra aos homens de boa vontade”...
Mas qual é a boa vontade aceita pela sociedade?
Apoiada pelo governo?
A paz da inércia de um domingo alienado à televisão?
Comprando idéias capitalistas,
Sonhos ilusórios,
Corpos perfeitos rebolando,
Nutrindo a imaginação?
Qual é a boa vontade oculta nessa intenção?
Propósitos pacificadores de manipulação?
Ditar o que é bom,
O nosso querer,
O nosso pensar,
Controlar a nossa ação...
As grandes conquistas foram ancoradas
Nas atitudes de homens com real boa vontade...
Rebelados contra a mentira da paz imposta.
Vomitando verdades que a história oculta.
Preconceitos,
Diferenças,
Descaso,
Indignação...
Chama a polícia pra esses baderneiros!
Quanta boa vontade há em nossa sociedade...
Cultura que não provém da televisão,
Agora é coisa de ladrão!
Gente que quer roubar a atenção,
Traficantes de conhecimento,
De liberdade de expressão!
Munidos de armas que disparam palavras
Ao invés de tiros...
Da luta eu não me retiro!
Paz para quem não se mexe,
Guerra!
Para quem faz e acontece.


Parabéns Sarau da Ademar!

3 de set de 2010

Poema discreto


Entre oscilações
de calor e frieza,

persiste o medo,

o risco,

a incerteza...

Mesmo assim...

sou presa,

enriquecida do seu pouco

distribuído com tanta destreza.