6 de jul de 2012

Lembrei-me das palavras do poeta:

"Quando o bicho pegar, você vai estar só..."

Fui fechando minhas portas

Como se um nó me prendesse a solidão...

Isolada da esperança e da alegria

Sentia que a minha poesia

Se tornara pequena demais para compartilhar...

Estive perdida nas sombras mais profundas do meu eu...

Solta nas corredeiras infindas do meu abismo interior

Buscando um galho à beira do caos para me agarrar e sobreviver...

E afoguei-me...

Afoguei-me num mar, que sem nenhum por quê concreto,

Brotava dos meus olhos a encharcar-me a alma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário