28 de ago de 2009

Agora


Agora,
A bebida nos entorpece...
Faz de nós loucos amantes
E o agora, já não é como o antes,
O toque de Dionísio, apenas aquece.

Agora,
No lugar da falsa gargalhada,
A mistura dos nossos sentidos;
Toques, cheiros, gostos e o sussurrar nos ouvidos...
Não há vazio, seus olhos fazem dos meus, morada.

Agora,
Tudo mudou afinal!
Aquela casa abandonada e sombria,
Encheu-se de esperança e está repleta de alegria,
Que tenho a sensação de estar em pleno carnaval!

Nenhum comentário:

Postar um comentário