30 de jul de 2009

Enchente


De repente o céu nublo.
Daquele jeito que faz dia virar noite de repente...
Aí, bateu uma preocupação...
Roupa no varal, colchão,
Janela aberta, menino na escola
E o medo da inundação...

O céu desabou!
Ah meu Deus!
Tomara que eu chegue a tempo...
Porque faz tão pouco tempo
Que não deu tempo de chegar!
E foi a maior tristeza
Chegar em casa e ver minhas coisas a boiar...

Ah meu Deus!
Será que vai dar tempo de chegar?
Ônibus lotado, trânsito parado
E eu aqui, em tempo de enfartar...
Geladeira, fogão, sofá...
Ainda nem terminei de pagar!

Ah meu Deu!
O Senhor tem que me ajudar!
Porque se dessa vez eu não chegar a tempo,
Vou desistir de rezar...
Que vida é essa de lascar?
Ah Deus! Será que vai dá tempo de chegar?

2 comentários: