31 de jul de 2009

Esperança


Eu queria fazer um poema
Cheio de luz e de esperança
Que dissipasse todos os problemas
E trouxesse a tona a mais linda lembrança.

Queria eu em humildes versos,
Expressar a riqueza da fé,
Ensinar o caminho do amor
E acender uma chama qualquer.

E queria uma vida cheia de crença!
Uma verdade menos ingrata,
Onde não houvesse tanta diferença
Entre o pé descalço e a gravata!

Queria saber da vida o enredo
Pra viver como uma criança,
Brincando e sorrindo sem medo,
Depositando no outro confiança.

Mas sinto o quanto cresci,
O sofrimento tornou-me grande...
E hoje só levo incertezas
Por onde quer que eu ande.

Se no caminho há flores,
Em maior proporção estão os espinhos...
Nos ensinam muitos valores
Que apanhando aprendemos sozinhos.

Tudo é muito imprevisível...
E é preciso contar com a sorte,
Já que a única certeza da vida,
É a de que um dia chegará à morte.

Então, é preciso acreditar!
Persistir, não desistir da luta!
Não basta apenas sonhar...
Felicidade provém de labuta!

Se cada um fizer sua parte,
Espalhando a semente do amor...
Através da bondade ou da arte
Seja da forma que for,

Unidos faremos milagres!
Uma só andorinha não faz verão,
Mas sei que juntos somos capazes
De mudar o futuro da nação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário