30 de jul de 2009

Marcas do tempo


Insisto... minhas marcas do tempo carrego...
Marcas de expressão, marcas de envelhecimento...
Algumas adquiridas com o sofrimento
Outras por ter elevado demais o meu ego.

Sem descrição, nenhuma vergonha carrego.
São como troféus que tatuam os meus momentos...
Assumo-as com a cabeça erguida... não as nego!
Meu corpo não foi imune ao tempo. Não lamento.

Os momentos bons propiciam prazer e alegria,
Os ruins para o crescimento são reservados...
Aprendi a diferenciar o real da fantasia,

E os sofrimentos não devem ser ignorados...
Os meus, além de marcas, viram força e poesia
Para que por outros, possam ser observados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário